Páginas

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Clima(x)*



É que o lugar mais certo
O tal ponto de equilíbrio
Eu encontrei
Na extremidade da gangorra
Na possibilidade de aqui e lá estar:
Segura, pés firmes no chão
Altura, desejo de impulsão.
Como se uma força delicada
Me autorizasse o erro
Sem promessas de punição:
- Abra a porta!
Deixa a tua ousadia entrar.
Se não era bem isso,
Foi o que eu quis escutar.
Não sou de temperatura
Que o morno suporta.
Me traio em verões
Pra depois arder no inverno.
É por pura opção:
Me quero assim, desatenta
Me atirando aos riscos
Feitos a lápis,
Me emoldurando em noites
Feitas à mão.


Imagem retirada daqui.

13 comentários:

Aninha Kita disse...

Lindo, lindo! *-*
Ah, ao menos numa fase de nossas vidas somos todas assim, sombra e luz!

Beijos, beijos!
Ana

Rafaela G. Figueiredo disse...

perfeito o sincretismo do título, com a temática e o sugestivo:
tudo pulsando em equilíbrio!

lindo e sutil, sua linda!

;*

Priscila Rôde disse...

Monica, e agora? O que dizer? Achei tão perfeito. Completo!

Will disse...

Otimo poema Moni...
Intenso, profundo e sincero...

bjss
Will

Diu Mota disse...

A vida está nos desafios. Certíssima!
Bjs!

Adernilson disse...

Profundo.
Parabéns.
Penso que temos que pensar como você colocou no seu poema. Provocar o desequilíbrio, fazer as coisa, os relacionamentos, a vida andar mexer. Muitas vezes "...por pura opção" correr os riscos, viver a vida (carpe diem), se entregar por completo vale a pena.
Acredite sempre em ser feliz.

Taciana dos Anjos disse...

que lindo, adorei seu blog
escreveu muito bem essa poesia. a autorização do erro, deixar a ousadia entrar, verões e invernos.... adorei!

Estou te seguindo

beijos
taaci

Eduardo Trindade disse...

Admiro tanto teu talento de poeta-escritora!
Abraços, guria!

Edu disse...

Muito bom!!!

Saudade de passar por aqui, mta correria!

Bejo!

A.S. disse...

Moni,

Todo o equilibrio é instável!...

Lindo o teu poema!


Beijos...
AL

Renata de Aragão Lopes disse...

[ ...a felicidade estará
num dos extremos... ]

Beijo,
Doce de Lira

vanessa cony disse...

Passeando por aí encontrei teus versos...
Bom aqui.
Encontrar um ponto de equilíbrio nem sempre é tarefa fácil.No fundo ,devemos respeitar o ¨nosso ¨próprio equilíbrio.Somente assim encontraremos a tranquilidade de seguir...

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente...e me trouxe tantas saudades...gostei!

[]s