Páginas

quarta-feira, 30 de março de 2011

Pueril


 
Porque não é preciso dizer tudo
Há olhos que falam mais
Não conhece amor mudo?
Abraços com jeito de cais?
Pois renove o seu dicionário,
O seu linguajar diário
E ignore toda a rima:
Desnude-me nos versos acima.
 
Imagem CC, retirada daqui.

29 comentários:

NDORETTO disse...

Curta cortante,esse,hein??
Fio de seda...!
Intenso.
A sua cara.

Beijos,parceira
Neusa

Í.ta** disse...

a necessária desconstrução que leva a uma nova construção.

amei os versos!

beijos

Flá Perez (BláBlá) disse...

rsrs, gostei! fechou com chave de ouro!

bjbj

Carol Freitas disse...

Teus olhos de enxergar o mundo fazem-me amar ainda mais sua literatura!

Que perfeito isso, hein, sócia??

;)

J.F. de Souza disse...

mas nem os olhares dizem tudo... =)

Thai Nascimento disse...

Dizer tudo é quebrar o mistério. E mistério é sempre um ótimo tempero.

Gostei muito do poema.

Poesia Cibernetica disse...

Os olhos falam e eu escuto. Belo poeminha...

Edu disse...

Nada melhor que uma rima de pegadas! hehehe

Bejo!

Marcio Nicolau disse...

intrigante e instigante.

Gostei.

RICARDO disse...

Poema "laminado"(e iluminado).
Afiadamente cortante(e penetrante...)!

Bjos!

Aline Costa disse...

Desafiando o olhar dos mortais... Mui belo e complexo feito alma tua!

AFRICA EM POESIA disse...

Um beijo e o meu deserto


DESERTO

Vou caminhando pelo deserto
Ando e ando e é só areia...
Areia, areia e nada mais...
Estou cansada...
Os meu lábios estão secos...
Muito secos...
E eu no meio do deserto...
Só te queria ter...
Para beijares os meus lábios...
E me tirar a sede...
E espero-te para acalmar...
A minha ânsia....
A minha sede...
E o meu desejo...
Desejo louco de te ter...
De te poder tocar...
E finalmente ser feliz...

LILI LARANJO

Gisa Carvalho disse...

Forte, intenso como um olhar. Do início ao fim.

Tatiana disse...

Que bom poder ter sido guiada até aqui e decobrir um espaço tão rico.

Já percebi que voltarei mais vezes!

Um abraço carinhoso

Letícia Losekann Coelho disse...

O silêncio... Para alguns agonizantes para outros livros inteiros, quase que enciclopédias. E quem disse que é necessário dizer tudo? Os olhos sempre dizem mais.
Adorei a poesia :D
Beijos

Renata de Aragão Lopes disse...

Os olhos sempre dizem mais...

Um abraço saudoso, querida!

Alicia disse...

Uau!

Que convite.

Priscila Rôde disse...

Os olhos falam mais, bem mais...

Belo!

Por que você faz poema? disse...

Os versos mostram mais
do que se propoe a esconder.

Paulo Rogério disse...

Amor mudo tão loquaz!

poesía basura disse...

Versos inquietantes e belos.
muy bien!!!

poesía basura disse...

versos rebeldes e inquietantes.
Muy bien!!!

Eduardo Santos disse...

Olá. Positivamente terei que renovar o meu dicionário, pois dele não fazia parte esse jeito de ver o amor. De facto não é preciso dizer tudo, até nada dizendo se expressa o amor, afinal amar também é ver e calar! Desnudar sentimentos é tarefa difícil apenas para quem não sabe o que representam, mas é mesmo aliciante.
Foi um prazer descobrir seu cantinho, espero voltar. Tudo de bom.

Catalina disse...

prazer seguir seu blog também apesar de não falar de suas fotos que você está fazendo? Se você pode seguir o meu blog eu ficaria muito animado http://www.sexshop-romantic.ro

Edson Marques disse...

Moni,


Só vim trazer flores!


Belíssimo poema!

Dan RibLey disse...

Senhor dos Tempos:
Eu nem sempre planejei alguém pra chamar de minha vida.
Nem sempre almejei ter uma mulher que chamasse de querida.
Por todas as paixões que eu tive, de todas que gostei você é a mais bonita.
Qualquer sonho que eu tenha, qualquer beijo ou despedida.
Quero-te sempre ao meu lado pra curar junto comigo todas as suas feridas.
Com as mais claras palavras eu firmo o compromisso.
De sempre ser confiável e nunca ser omisso.
De querer estar sempre ao seu lado e resistir a qualquer feitiço.
De te ofertar as mais lindas palavras de um amor forte e maciço.
Acordar contigo ao lado e agradecer a Deus por me fazer sentir tudo isso.
Fazer de ti minha amiga mais fina confidente.
Deixar-te confortável pra dizer tudo que sente.
E nós dois em dois corpos formaremos uma só mente.
Compartilhar as dores e alegrias em um mesmo ambiente.
Fazer de nós uma entidade única em indivíduos diferentes.
A saudade que eu sinto hoje só me faz ter certeza.
Quando penso em minha morte encontro em ti minha fortaleza.
As cores e os sons que te daria seriam os mais belos da natureza.
Se eu fosse senhor do tempo colocaria-te eternamente em teu trono de princesa.
Livraria o mal do mundo pra que dormisse em paz com sua beleza.
(Danilo R. Leite)
Moni, adorei sua poesia.
Espero que goste da minha...
Se quiser mais:
ovoouagalinha.blogspot.com

Cris de Souza disse...

olhar é o que há!

Talita Prates disse...

TUDO tão lindo, Moni...
Teu jeito-só-teu de escrever/desnudar-se...
MUITA saudade daqui.

Beijo ENORME e doce de fã,

Tatá
História da minha alma

Flá Perez (BláBlá) disse...

perfeitos!! bjbjbj