Páginas

sábado, 1 de dezembro de 2007

Tempo de Dançar


Houve um dia
Que era dia
De dançar
E eu dancei
Muito menos que eu podia
E era o dia
E eu não soube aproveitar.

(Prometi pra mim que não ia mais perder os motes que me vinham à mente e que eu sempre achava que ia lembrar depois e logicamente, os perdia. Lembrei dessa foto, que tava guardada em algum lugar e os versos se construíram, em meio a um engarrafamento. Sorte minha, pude rabiscá-los num papel. Fosse numa BR, teriam se perdido a 100 por hora...rsrs)

3 comentários:

Henrique Moreira disse...

Felizmente que os dias de dançar, mais tarde ou mais cedo, sempre voltam.
Por vezes com outra música, quase sempre noutro chão, mas voltam sempre.
Preciso é, manter os pézinhos ligeiros e os ouvidos atentos.
Mas...
(será que estou falando de dança?)

sil disse...

:)

keila, a Loba disse...

Dançar é um ritual de vida e corporeidade do qual não abro mão na vida, Moni.

Boa menina!

BeijUivoooooooooosssss da Loba