Páginas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009


Tempos e tempos de muito calor. De tal forma escaldante, a ruborizar vez por outra a face.
Hoje a chuva caiu forte, um tanto tardiamente, quase imperceptível lá fora, como quem corre atrás do prejuízo.
Não percebera que eu cheguei primeiro, desenhei outra estação, explodi termômetros e ignorei o azul pesado que dava o tom ao céu.
Eu estava leve o suficiente para me colorir...

Imagem capturada do blog www.beautful_angel.blogger.com.br

4 comentários:

nina rizzi disse...

lindo :)

e o calor é tanto que até chove. e haja baldes e luzes apagadas pra conter formigas-voadoras e pernilongos :s

Isabella disse...

Que você sempre tenha a capacidade e a vontade pra se colorir...

Lembre-se: jujubas vermelhas, mas a vida tem que ser multicores...

Adoro tu, lindume!

Mara faturi disse...

Linda,
as cores ganham novos matizes qdo a leveza é insustentável ..então deslize, voe, flane, exploda em cores, feliz e intensamente...
bjo grande!!!

vega becker disse...

minsturando tudo:
imagino teu mundo grande.
o meu é infinito, sem pretensão ou megalomania. é infinito pq qdo estendo as mãos ao alcance de algo sinto como se cada vez mais pudesse ir além e além... e além. nunca acaba. e somos tão incumbidos, né? bem, isso acaba por fazer nascer uma flor todos os dias, como se fossemos pura terra e o restante alimento. eu gosto desse destino tão.
sobre o tempo: tá abafado por aqui, o ar tá pesado. tá uma atmosfera estranha. tudo mudou. é uma pena o sol não brilhar inocente como antes... ea chuva vinha apenas deitar-se em nossos lençóis por simples ânsia de aliviar-nos a seca, a fome e impor o ciclo natural. ouviu? a chuva começa a deitar-se 'ácida' novamente, corr(o)endo em busca de uma salvação, desesperada. porque sua mãe Terra morre aos nossos olhos e não fazemos nada...

=*