Páginas

domingo, 9 de maio de 2010

Mãe


Ela:
A mesma que eu poderia ser
E quem sabe
Serei ainda, é o intento
Eu que a sei por dentro
Ambas de gêmeos
Mas únicas
Nas batalhas, nos tormentos.
Miúda, feito formiga
Anda ligeiro
Carrega peso maior que o seu
Fala muito
O doce, o amargo
E sorri largo
Até daquilo que já perdeu.
Será que sou ela?
Será ela, eu?
Quase cabe no meu abraço
E não gosta muito de beijo
Faço de conta que esqueço
Consciente, desobedeço
Nem sabe o quanto é amada
E eu sei o quanto me adora
Pois mesmo já estando aqui fora
Ainda é lá dentro que ela me guarda.

14 comentários:

Carol Freitas disse...

Não posso ler dois poemas seus de uma vez, pq fico sem palavras para comentar ambos! rs..

Doçura e carinho explícitos em cada palavra...

Mais uma vez, lindo! (sendo só essa a palavra que me resta...)

Beijo!

NDORETTO disse...

Seus poemas são textos perfeitos para teatro!!!! Gosto muito deles! Comentei até com a Flá Perez pra ela ler( a Flávia faz parte do curta, dá uma espiada: ela publicou varios na minha ausencia)


Beijão,linda, pra vc e pra mamae!


Neusa

Í.ta** disse...

que lindíssima homenagem, moni!

eu adoro teus versos!

beijo

sidnei olívio disse...

A Neusa tem razão e repito o que ela disse. Beijos.

Laís Bratfisch disse...

Em palavras, você prende o que não é prendido.
Adorei!

Aninha Kita disse...

Lindo poema! *-*
REALMENTE sua mãe lhe inspira! :D
Gêmeos no signo? Estão logo aniversariam...

Adorei dois versos finais, uma imagem e tanto! *-* É provável que eu já citá-lo um dia desses, prometo referenciá-la! ;)
Beijo.

Myrela disse...

Aí que emocionante!!! snifff

Bebel disse...

Que coisa linda, Naizinha...
Já mandou pra tua mãe?
Beijos, lindume

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Mãe é a mais perfeita tradução
da palavra amor.
Mulher capaz de dar sentidos,
até ao que parece não ter sentido.
Perfeitas as suas palavras.

Que a vida se faça plena em ti.

Paulo Rogério disse...

Muito do amor de mãe sempre em nós (até na desobediência consentida). Longos anos de vida a essa gigante!
Beijos!

NDORETTO disse...

psiu....quando que vc vai postar no curta?....rsrsrsr

beijão!!!!


neusa

NDORETTO disse...

Adoro seus bolerões e sua literatura! Estou preparando um roteiro de poesia falada para bares. Em outras palavras, costurando poemas passionais e bem humorados que um ator representará.São textos de escritores blogueiros ( todos autorizados) com alguns figurões pelo meio, Pessoa e Lispector.Os ensaios começam em julho, e a estreia deverá rolar no verãp novembro/dezembro. Vc autoriza a falação de um seu?

Beijão!

Neusa

Renata de Aragão Lopes disse...

Quanta doçura, Moni!

Parabéns
a você
pela mãe
e a ela
pela filha!

Beijo, querida!

Hamanda Freires disse...

nossa muito massa!