Páginas

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Da (inevitável) ordem natural das coisas


                                                                             
Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer.
(Chico Buarque)

Passado o tempo necessário
É dada a hora de recomeçar.
Era o que eu bem já sabia
Mas o tal do imaginário
Relutante a negar
Na contramão, antilibertário,
Mesmo com o mundo a girar
Na mesma toada insistia
No lugar de outras notas cantar.

Hoje o peito anistiado
De fôlego inteiro, retomado
E a velha vontade de repetir:
Para chegar é preciso ir.

Não é que me falte medo
Mas é que me sobra vontade
De repente, acordar mais cedo
Sentir a inédita verdade:
É que abismos, meu caro,
Foram feitos pra saltar
E de súbito me jogo
É a pressa de sentir logo
O gosto que me é tão raro:
O prazer de experimentar.

A busca: o que é intenso
Quero tudo de uma vez
Descobri que perder o senso
É minha maior lucidez.

Imagem capturada do blog klaud-mar.blogspot.com

22 comentários:

Deivide disse...

que lindooooow!!!!
estupenda poetisa heim!!!!
XD

Wilson Torres Nanini disse...

Como já dizia Orides Fontela, "a lucidez alucina".

Abraços!

Gisa Carvalho disse...

"Perder o senso é minha maior lucidez"

É o que se faz de melhor...

Inspirador. =*

Í.ta** disse...

"consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade", canta o renato russo em "sereníssima" :)

os versos do chico ali ficaram ótemos!

beijos!

Rafaela G. Figueiredo disse...

eu acho isso, de perder o senso, o melhor motor para encontrá-lo!

algum dia, escrevi assim:
'... e o fino fio da emoção
é o mais estreito laço
em que me afluem todos os sentidos.'

desejo-nos!

beijo, linda

sara kellyne. disse...

Perfeito!
Como sempre, arrasando né? inspirador! Um grande texto para se iniciar o ano com pé direito.

" É que abismos, meu caro, foram feitos pra saltar. "

Texto lindo, autora linda!
Grande beijo. :*

Poesia Cibernetica disse...

Maravilhoso Moni!

Renata de Aragão Lopes disse...

"Para chegar, é preciso ir."

Lindo texto pra iniciar 2011, Moni!

Também a VONTADE me sobra... : )

Um 2011 especialmente feliz,

Gordinha disse...

Carpe Diem, Carpe Nocten! Feliz Ano Novo, atrasadinho!

Bjs!
=D

RICARDO disse...

Um retrato
insensato
de um imenso
e denso
desejo
de embriaguez
pelo intenso
e definitivo lampejo:
lucidez.

Moni

Sua lucidez poética é divina.Encontrá-la e "conviver" com você e suas poesias foi um dos meus grandes momentos em 2010.Espero que em 2011 os "lampejos" continuem iluminando seus caminhos.

Beijo carinhoso
Ricardo

nydia bonetti disse...

Nós, poetas, temos mesmo uma "queda" pelos abismos... na poesia nos jogamos. :) Mas viver não é mesmo experimentar, um por um dos dias, como se fossem únicos? Que possamos seguir experimentanto a vida, em 2011, Moni! beijo!

Myrela disse...

Viva!!!
Eis que, passado o tempo, virou passado...
Que tu te vás e que tu chegues...ainda em 2011!!!
Beijo Bond's!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Belíssimo... toada mexeu aqui, há tempos não ouvia/lia... "é preciso perder-se para se encontrar"

;)

Letícia Losekann Coelho disse...

E o que te tira do rumo é o que te coloca no centro... A gente se perde no mesmo, repete gostos e desgostos e na real não está nem aí. ;)
Beijos guria, eu sou fã demais do que tu escreve. Essa poesia está muito boa!!

Carol Freitas disse...

Lucidez: eis uma palavra plural de significados para um poeta.

No corpo das tuas palavras, ela ficou perfeita!

Adoro, sempre!

Beijo!

disse...

Lembro de um comentário seu num texto meu com essa música.
E finalmente chega a sua hora de brilhar.
E vou repetir várias vezes, pq amei a sua frase.
Ano ímpar, será a vez do melhor par.

Que assim seja!

Beijo, amora linda!

Elzenir Apolinário disse...

Moni, querida, muito lindo e intenso este poema. Vamos, sim, recomeçar sempre que for preciso. Aprendi que temos que sempre retomar o que já deu certo e repeti-lo. Bjs. Mais um ano juntas.

Edu disse...

Saboroso demais esse ímpeto de partir, conquistar, experimentar, fazer, lembrar!

Beijo!!

Talita Prates disse...

tão sensata tua loucura, Moni...

bjo de quem é fã incondicional,

Talita
História da minha alma

Marcio Nicolau disse...

com o mesmo entusiasmo com que recebi recentemente um comentário teu no InterTextual, gostaria de deixar registrada a minha já declarada admiração pela tua arrebatadora produção textual.

Repito o que já disse: precisamos intensificar o nosso diálogo.

Você é extraordinária.

Cris de Souza disse...

lindeza!

versos para serem cantados...

beijo, bela moni.

Marina Karolina. disse...

Muito lindo!
Dá pra viajar nesses versos...