Páginas

sábado, 10 de novembro de 2007

Na estrada



A noite é a melhor hora pra se viajar.
Em quase todas elas, compro uma passagem pra onde quero:
E vou, noite a fora
Sem cinto de segurança,
Sem limite de velocidade,
Sem trânsito ou semáforo,
A lua como guia, em qualquer fase.
Não preciso de mochila, visto ou habilitação
O que eu quero, enfim é meu.
E não há data pra voltar...

3 comentários:

Keila, a Loba disse...

Estou pondo lá nos Uivos um selinho para ser entregue aos amigos blogueiros que escrevem com um sentimento profundo de amizade, paz, integração e solidariedade, e você foi escolhida porque reune essas caracteristicas. Espero que pegue o seu daqui ha alguns minutinhos, querida.

BeijUuvoooooooooossssssss da Loba

Henrique Moreira disse...

Sem dúvida que à noite se esbatem todas as leis da física e se abolem todos os conceitos de bom senso. Mas o amanhecer quase que surge como uma condenação, fazendo-nos regressar a um dia "sombrio". Tão "sombrio" que por vezes nem notamos que o Sol brilha lá fora, que aqui e ali se podem ouvir risos de crianças, e que até, por vezes, pessoas nos sorrindo encontram a cara fechada que no passado condenámos nos outros.
Apesar de toda a independência que almejamos e que amiúde levantamos como bandeira, na verdade não passamos de um produto criado por todas as pessoas que já passaram pela nossa vida: Somos aquilo que fizeram de nós.
É reconhecer isso que torna a noite tão bela, tão nossa

Janasinha disse...

Que comentários enormes... São blogs dentro de blogs?

Bom... meu coment é simples.

Só peço cuidado viu? Com essas viagens loucas e desenfreadas! :)