Páginas

sábado, 7 de junho de 2008

Inferno astral?



Mercúrio entrou em crise.
Estressou,
Deu pânico, deprimiu.
Alagou o cosmos de tanto choro.
Nem a proximidade do sol aquecia.
A lua pulsava mais forte,
Cada emoção triplicava o peso
Ignorando a ausência de gravidade.
Vênus estava de bobs na cabeça e espinhas no rosto.
Quebrou o espelho ao se olhar...
Pobre Marte,
Com a imunidade baixa,
Alternando em febre e calafrios...
Júpiter ficou cético,
Introspectivo,
Duvidando de tudo e de todos,
Se sentindo só e achando tudo minúsculo...
Saturno achando que não daria conta de mais nada nessa vida,
Sem ambição nem do dia de amanhã...
Urano entediado.
Nada de novo pra descobrir,
Nenhuma surpresa pra fazê-lo orbitar com vontade...
Netuno acordou sem motivos pra sonhar,
Desacreditado da arte,
Duvidando de que novas canções pudessem surgir.
Plutão apagou a luz.
Bateu o martelo querendo convencer de que dali não se passaria...

Mas tudo gira,
O tempo todo, tudo gira...

O sol nasce de novo, aquece,
Dá outros motivos,
Outras cores,
Outros tons...

Tudo de volta pro seu eixo.

Defeitos nos seus lugares.
Virtudes também.

Novo ciclo...Tudo novo. De novo.


Um comentário:

Renata F. Martins disse...

Daqui há pouco chega a nova fase e com certeza, só alegria! Afinal, sempre é assim rs
bj