Páginas

domingo, 4 de outubro de 2009



Eu que sempre quis voar
Rogo por gravidade .
Erro grave,
Previsto,
Mas agora é tarde
Grito do alto:
Desisto!


Imagem: arquivo pessoal.

10 comentários:

Tiago F. Moralles disse...

Fecho o olho,
e arrisco.

Paulo Rogério disse...

Quantos te levaram a esse vôo? Quem te acompanhará na queda? O que dói mais: a ilusão do vôo então sentida ou a solidão da descida? Texto sem reparos. Singelo e profundo. Beijos!

Renata de Aragão Lopes disse...

Espetacular!
Adoro quando fala em versos...

Ps: ao contrário do Moralles,
eu me jogo de olhos abertos! (risos)

Beijo, querida!

Mara faturi disse...

você desiste dinda linda??!!!

ahhh, só no poema né??!!! sei que é uma "metáfora", rsrs...
bjinhos saudosos * ) * ) * )
Adoro!!!!!

bia martins disse...

Prazer idem querida!!
sempre bem vinda...
Adorei aqui,
tava msm pensando sobre essa frase:
Voltar a gravidade, sim ou nao?
rs
Dificil viu...

um bjo flor! ^^

Fred Matos disse...

parece com um sonho
que tenho amiúde
só sei subir
subir
subir
até quase desaparecer

somente despertando
consigo descer.

Ótimo o seu poema.

Beijos

A Moni. disse...

Tiago e Rê, de olhos fechados ou abertos, jogue-mo-nos!
Beijos nos dois!

Paulo...Que sinuca em que me deixaste, hein? Passado o silêncio da angústias pelas possíveis respostas, digo que, se eu as respondo, deixo de voar...

Maroca... Às vezes a gente brinca de dizer verdades, né?
(* (*

Bia! Bem-vinda!
Tens razão...nada fácil...rs

Fred, eu acho que moraria nesse sonho...rs
Que bom que gostou...volte!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Moni,

O medo tem disso... mas o seu poema está divino.

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Marcelo Novaes disse...

Moni,



A aterrissagem será tão boa quanto...






Beijos,








Marcelo.

A Moni. disse...

Assim seja, Marcelo...

Beijos!