Páginas

terça-feira, 6 de abril de 2010

Aqui bem longe



Dos séculos de tempo
Contados minuto a minuto
Vividos,
Mastigados,
Dia a dia, devagar.
Dos anos-luz de distância
Arrastados metro a metro
Seguidos,
Caminhados,
Passo a passo a aumentar.
Restou aqui dentro
Um retrato do céu:
Lá em cima,
Aqui embaixo
É sempre o mesmo lugar.

Ao som de "Longe", de Arnaldo Antunes, tão bem pinçada por Sylvia Araújo. Ouça aqui.

18 comentários:

A Moni. disse...

Comentário lindo da Sylvia Araújo, que eu retardadamente cliquei em "recusar":

Sylvia Araujo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Aqui bem longe":

Esse seu texto me trouxe de volta uma música doída, doída do Arnaldo Antunes:

Longe

"Onde é que eu fui parar?
Aonde é esse aqui?
Não dá mais pra voltar
Por que eu fiquei tão longe?

Dizem que a vida é assim
Cinco sentidos em mim
Dentro de um corpo fechado
no vácuo de um quarto no espaço sem fim..."

Ainda bem que a gente sabe escutar o céu. Mesmo quando ele é dentro e est´a cheio de nuvens.

Beijo com carinho e admiração. Lindo, lindo.

Obrigada, Sylvia.
A música, em sintonia, vai aqui pro ladinho...
Beijos!

Í.ta** disse...

ficou lindoso, moni,

inda mais com o arnaldo ao fundo :)

beijo!

Angel disse...

Pra mim, ao fim do texto, ficou uma sensação de liberdade, de alguém que passou por um momento difícil, doloroso, e de repente, se viu liberto, e se viu no mesmo lugar, sob o mesmo céu. Pensei também no quanto nossa existência é pequena, se comparada a tudo que o universo já assistiu. Em ambos as situações, nos cabe a mesma coisa, simplesmente viver.

Adorei o texto!

Abraços.

Myrela disse...

Sensações de eternidade...mas felizmente nada é eterno. "Nada se cria, tudo se transforma."

Myrela disse...

Sensações de eternidade...mas felizmente nada é eterno. "Nada se cria, tudo se transforma."

Sylvia Araujo disse...

rsrsrsrs Ai, Moni, só você. Mas se o Arnaldo chegou aí, tá tudo certo. Essa música é linda demais, apesar de muito triste.

Um sopro de brisa pra você

Adolfo Payés disse...

Un placer pasar a leerte..


Después de mi ausencia... me quedo disfrutando de tus letras...

Un abrazo
Saludos fraternos..

A Moni. disse...

Sim, Sylvia, a música caiu como uma luva! Tanto que eu mudei e coloquei o link, vc viu? Obrigada! Amei o toque musical...

Ítalo... lindo vc e seu carinho sempre. O mérito do Arnaldo é da Sylvia. Acertou em cheio.

Angel, bem vinda! legal esse leque de interpretãções que podem acontecer... Venha sempre!


My, sensação sintonizada. Transforma, é? I'm waiting...

Adolfo! Adoro sua visita sempre! Besos.

Carol Freitas disse...

Olha, eu adoro chover no molhado quando passo por aqui!

Lindo é quanto mesmo??? =)

Suas palavras tem classe!

Beijos!

Gisa Carvalho disse...

As experiencias vividas, os passos caminhados, isso ´o mais importante.

Beijos. Foto linda!

Gordinha disse...

Nessa correria, pensamos que esta tudo mudando, quando na realidade a essência ainda é a mesma!

Bjs!
=D

Felipe A. Carriço disse...

Tudo é relativo, inclusive o tempo, que pro luar é simplesmente irrelevante.

Renata de Aragão Lopes disse...

Você e Arnaldo:
que composições
mais lúdicas...

Encantaram-me
o domingo!

Beijo, querida!

Geraldo de Barros disse...

gostei Moni, bonito mesmo

=)


beijo,
Ge.

RICARDO LEAL disse...

Monica
Fiquei tão encantado com seus blogs(já passei nos outros dois também)que não resisti em deixar um depoimento aqui.É extremamente gratificante poder ter esse "fácil acesso" até você e captar a energia dos seus escritos.
Parabéns!

Mara faturi disse...

Ahh,
que belo poema e canção;)
Adorei!!
Bjos dinda linda!
SAUDADEEEEEEEEEEEE!!

Paulo Rogério disse...

O céu, sempre prestigiando com um ponto de interrogação os nossos grandes dilemas e as nossas pequenas intervenções humanas...
Beijo, Moni!

Talita Prates disse...

Lindo DEMAIS, Moni!

Saudades daqui...

Um bjo,

Talita.