Páginas

segunda-feira, 8 de março de 2010

Temporada


Não é que não haja mais verso
Nem tampouco acabou a rima
Mas essa coisa de sonhar vicia:
Inquieta a noite,
Me ocupa o dia
Que se já era disperso
Quando um pouco eu tinha
Avalia, agora
Que a ausência domina.
Eu sei, eu sei
Essa história é mais minha
E de uns atos pra cá
Resolvi contracenar
Com um fantasma que eu criei
Monólogo líquido
Roteiro ríspido
E é a hora de escrever o desfecho -
- o que não parece fácil
Pôr um fim, onde nem vejo começo
De repente, só durou um segundo
Que mais pareceu todo o tempo do mundo
E tenho agora à mão
Uma caneta, uma obrigação
De uma tarefa desigual:
Escrever o tal ponto final
Fim da estrada de mão-dupla
Há muito cortada por interdição
Mas que ficou uma via
A atravessar o tempo
O caminho, a vastidão.
E falta pouco, é só mudar a estação.
Será minha estréia, esse dia:
No inverno a chover,
Muita água a cair,
Todas as coisas molhar
E sem que ninguém faça idéia
As últimas lágrimas escorrer
Com a chuva, fazer confundir
E até a mim enganar.

Aqui jaz.
Essa história sai, enfim, de cartaz.



Imagem googleada.

Até a próxima temporada...

13 comentários:

Í.ta** disse...

suas histórias-poemas sempre tão sensíveis e profundas!

Felipe A. Carriço disse...

Fecham as cortinas.
Restam flores.

Renata de Aragão Lopes disse...

"Essa história
sai, enfim,
de cartaz."

Mas não
necessariamente
com um ponto final.
As reticências
me parecem
mais apropriadas...

Após a longa temporada,
desejo-lhe uma feliz estreia!
Um monólogo?
Talvez
- nem seria má ideia.

Se quiser, contudo,
companhia no palco,
amigas atrizes
não lhe faltarão! : )

Um beijo, querida!

Myrela disse...

Saiu de cartaz após longa temporada de sucesso...agora tá na hora de outra boa película.

Talita Prates disse...

de uma força que me encantou, Moni.
Parabéns, querida.

Um bjo,

Talita
História da minha alma

Gisa Carvalho disse...

Sai uma história pra entrar outra! ;)

Geraldo de Barros disse...

é isso aí, Moni, muito bom, parabéns!

beijos!

Paulo Rogério disse...

É a dinâmica das letras, da vida, do amor...
Beijos!

Carol Freitas disse...

É tudo isso aí descrito acima, acrescentando a palavra que resta qdo tudo já foi dito: lindo!

Beijo!

Diu Mota disse...

Bravo!
Mas por que o início tem sempre que ter um fim? Deve ser o amor, assim eu e você.
Adorei!
inté

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Sonhar vicia.
Por isso sonhadores estão sempre
buscando outros caminhos.
É nessa busca que sua história se justifica.
Filme de vida,
com personagem único.

Que o teu coração seja sempre casa de alegria.

Sylvia Araujo disse...

As suas palavras sempre dançam em mim. Lindíssimo, Moni.

Beijoca

Í.ta** disse...

e as postagens, quando voltam?
saudades de lê-la já :D