Páginas

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

#PazNoRio


                                                                        "Pede perdão pela duração dessa temporada"
                                                                                            (Chico Buarque)

“Polícia e milícia”
Pra rima pobre,
Pergunta nobre:
Quem vai prender o traficante?
Quem vai julgar o comandante?

Se a intenção é de ser crítico
É preciso admitir
Que o verdadeiro vício
Desde o início
É o político.
Quem é que pede pra sair?

Imagem: UOL (25/11/2010)
 

21 comentários:

Í.ta** disse...

uoooooouuuu.

tu é foda!

aceite isto!

Barbara C disse...

Adorei o poema, uma realidade cruel mas é realidade combater violencia com violencia gera só mais violencia.


bjo Moni

Marcio Nicolau disse...

gosto do teu olhar antenado e da tua poesia significativa.

Feliz que tenha me visitado no InterTextual. Acho que deveríamos intensificar o diálogo.

Diu Mota disse...

Sim...conjugarei os mais belos, espero. E qual imagem vc usou? Vou conferir. Sempre que quiser, são suas.

Beijo e sorte nessa vida!

"...e se puder me manda
Uma notícia boa."

Carol Freitas disse...

Eu tentei escrever sobre o Rio hj. Em poesia e em prosa. Mas não consegui.

Vc sabe da minha paixão, mas nem no ápice dela eu conseguiria palavras tão certas. Tomo as suas como minhas. Posso?

AMEI!

Beijo!

RICARDO disse...

Moni

Carioca que sou, embora longe nesse momento, ao "ler-te" não consigo sentir outra sensação tal qual aquela canção que vc tão bem deve conhecer:
"Mas não diga nada que me viu chorando, e pros da pesada diz que eu vou levando".

Carros incendiados e eu aqui na décima oitava dose sonhando: "se puder me manda uma notícia boa..."

Tu és foda!!![2]

Beijos de fã!

Renata de Aragão Lopes disse...

Fantástico, Moni!
Atual e realmente crítico!

Ninguém pede pra sair.
Ninguém pretende
largar o osso/ócio.

Um beijo,
Doce de Lira

Rafaela Figueiredo disse...

o dinheiro manda, né?!
...

por isso, eu - ouso confessar - prefiro viver no meu 'infinito particular'. [tem outro jeito?]

ótimo texto, Moni!

beijo

Cris de Souza disse...

uma metralhadora de versos...

no alvo!

Eduardo Silveira disse...

moni,

teu poema faz lembrar que essa ferida é antiga, e não se restringe ao espaço do morro.
muita sujeira acumulada só poderia gerar esse caos.
bom soco.

so sad disse...

verdade. todos estamos com medo do depois...
como vai ser?
a lei protege o delinquente.

maricotinha ♥ disse...

Moni,
Desculpe a demora... o meme a gente responde como um post. Mas, claro, se você se sentir à vontade!!
(Tropa de Elite vai querer seus versos para o próximo filme!! Ficou ótimo)
beijos e boa semana!

Dario B. disse...

Caí aqui de paraquedas e me dei bem. O poema é atual e pertinente, alem de muito bem escrito. Fico feliz quando encontro lugares assim. Um beijo, te sigo, posso?

Mai disse...

Muito, muito bom isto.

Sem pieguices ou apelações. Poesia e realidade.

excelente!

Prazer foi meu tê-la encontrado.

Edu disse...

Nossa Moni,

Faço minhas as palavras da Mai, além disso, surpreendente como vc diz tudo com tão pouco!

Excelente!

Bjo

*** Cris *** disse...

Olá,td bem?
Que venha a paz!
Bjs!

Eduardo Trindade disse...

Neste mundo louco, vamos seguindo em frente. Com as armas que temos: uns com palavras e versos, outros com jornais impressos, outros ainda com armas de fogo. Alguns com as mãos nuas e o coração repleto de difícil esperança. Seguimos em frente.

FERNANDO COSTA disse...

Eis a arte indagando, a arte ensinando a arte fervendo.

Haja talento para o que transborda de ti.

simples assim.

Beijo enorme...Saudações Sempre Mto Fraternas.

Elcio disse...

Assino em baixo nesse poste. Concordo em numero, genero e grau. Ipsis litteris...rsss

É isso aí.

Bjs

sidnei olivio disse...

Poema panfletário da melhor qualidade e cheio de intenções. Gostei muito. Beijos, querida.

Maria Rita disse...

Uauuuu...adorei a sonoridade de tuas letras impecáveis!

Beijos pra Ti