Páginas

segunda-feira, 23 de novembro de 2009


"(...) Esparramados no mundo
Molhamos o mundo com delícias
As nossas peles retintas de notícias(...) (C.Buarque)"

Antes de dormir o pedido:
Pro dia nascer em aquarela.
Mas foi a flor amarela
A primeira imagem a me aguçar o sentido.
Cor que clareou o meu quarto
Aqui, esse canto esquecido
Que guarda meu choro escondido
Que faz profundo o canto do olho.
Ora finjo, ora sou
Às vezes digo que não estou
Finco o pé ou parto
Faço pedaços do que me é inteiro.
Foi a flor amarela que me fez lembrar
Que eu posso até nos enganar
Desfazer, inverter os ponteiros,
Mas independente daquilo que já se esqueceu
Ainda é a lembrança do teu sorriso
A chave do meu.

Imagem: arquivo pessoal

"Que papel faz um sorriso entre o aqui e o paraíso?" (Alice Ruiz)

21 comentários:

Tiago Moralles disse...

Sorrisos recíprocos.

Adolfo Payés disse...

Que poema maravilloso.. me gustó y mucho.


Excelente

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos

Que tengas una muy buena semana..

Pd:Estaba ausente por cuestiones de salud..
pero ya de regreso por aquí..

Talita Prates disse...

ó,
eu chorei.
pois é.

Moni, lindo...

...

enfim.

bjo.

Marcelo Novaes disse...

Moni,


Na memória [ou na
mão] a chave da flor
desabrochada.






Beijos,







Marcelo.

Paulo Rogério disse...

As flores encerram bem mais que perfume. Têm a chave das melhores lembranças e expectativas... Mais um lindo poema com que nos brinda! Beijos!

O Profeta disse...

Lembrarás tu que as manhãs
Acordam da tua luz fugidia
És esperança de perdida estrela
Quem recolhe a dor em Deus confia

Assombração que o luar esqueceu
Nas margens de um lago azul
Hoje passou a voar por mim
A última garça a caminho do sul

Era alva como a espuma do mar
Graciosa como mulher feliz
Voava de encontro ao vento
Com olhar brilhante de petiz


Boa semana


Mágico beijo

Pedro Antônio disse...

Ei!

Obrigado por seguir meu blog!

Muito obrigado por sua visita! Lindos os seus textos! Parabéns!

Abração!

Pedro Antônio
www.atorremagica.blogspot.com

A Moni. disse...

É, Tiago, até "(...)quando nada mais restar do teu sonho encantador, sorri(...)".


Adolfo, obrigada pela visita, leitura e carinho sempre. Na torcida aqui pra que esteja muito bem de saúde!


Talita... Eu também. Dá aqui um abraço...


Marcelo... Na memória. Até o fim...
Beijos!


Paulo, tens toda a razão. Flores colorem a vida, guardam histórias, eternizam momentos... Que bom que gostaste! Beijos!


Profeta! Que lindo poema que dialoga tão bem com o nosso aqui... Obrigada!


Pedro! Que bom que vieste! Sinta-se em casa. Adorei conhecer sua Torre Mágica! Volte!

sidnei olívio disse...

Belíssimo poema. Um romantismo sem qualquer exagero. Gosto demais de versos assim e de visitar seu blog. Beijos.

Renata Luciana disse...

Agradecendo a tua visita e desejando um girassol para todos os seus dias!

Bjs

Priscila Lopes disse...

Isso é música!!!

Marcia Carneiro disse...

"Mas independente daquilo que já se esqueceu, ainda é a lembrança do teu sorriso,chave do meu...." Que pontaria certeira essa...leve e honestamente, apontou com precisão... Bah Moni...que coisa mais linda !!!!!!!!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Penso que a grande beleza de um poema é durante a sua leitura, sentí-lo como nosso.
Poemas assim se justificam, e ficam para sempre no livro digital do coração.

Muito bonito o teu espaço.

Voltarei outras vezes.

Geraldo de Barros disse...

Viajando de blog em blog acabei encontrando esse seu "cantinho" e confeço que "cantinho" bom :)
Não perco mais esse caminho. São belos os poemas.
Realmente a sensação que eu senti, quando terminei de ler esse poema, foi de o sorriso se abrir, parabéns!

Um abraço,
Geraldo.

Felipe A. Carriço disse...

As pequenas coisas, são as que fincam o pé na memória, e tardam a partir. Diferente dos girassóis, que sabem que, toda a tarde, terão de baixar as cabeças e chorar o orvalho da noite ao lembrar do calor do Sol.

Renata de Aragão Lopes disse...

Adoro gérbera
- sobretudo a amarela,
por lembrar
o girassol...

E sua poesia
é um encanto, Moni!

"Antes de dormir o pedido:
Pro dia nascer em aquarela.
Mas foi a flor amarela
A primeira imagem
a me aguçar o sentido."

Muito bonito!
Beijo,
doce de lira

A Moni. disse...

Sidnei! Que bom que gostou. Que bom que gosta de vir aqui... Volte muito!


Obrigada por vir, Renata! E flores para os seus dias também!!!


Priscila, sua afirmação coloca a melodia necessária... Que bom!


Ô, Márcia... Coisa boa você ter gostado assim... Será que acertei o alvo no escuro???


Aluísio, que maravilha a sua visita! Fico feliz demais por você sentir o poema assim... Volte, viu?


Que viagem boa a que te trouxe aqui, Geraldo! E se um sorriso se abriu ao final, então... que honra! Não esqueça mesmo o caminho e volte!


Felipe, você simplesmente sintetizou tudo. Pequenas coisas e suas gigantescas importâncias gravadas no "pra sempre"...


Rê, querida... As Gérberas são as minhas preferidas. As amarelas, então... são parte da minha história.
Que bom que gostou!

Beijos pra todos vocês!

Fred Matos disse...

Delícia, Moni.
Beijos

Í.ta** disse...

o verso da alice ruiz fechou bem com os teus.

pro dia nascer feliz
e o mundo inteiro acordar
e a gente dormir

me lembrou isto =D

abraço.

Silvana Nunes .'. disse...

BOM TARDE.
Antes de mais nada estou aqui para agradecer a visita e seu comentário tão significativo para mim. Eu ando um pouco ausente, minha conexão anda péssima, lentíssima. Como já havia dito, eu moro dentro de um pedacinho da mata Atlãntica e o sinal aqui é muito dificultoso. Além do mais, com toda essa chuva que tem caído tenho mantido o meu computador desligado por conta dos raios, já queimei uma televisão por causa disso, aqui não tem pára-raios ( agora vê, acostumada com cidade grande, achei que no mato poderia existir um pára-raio - só eu mesma). Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no mato.
Hoje eu trago uma história bem legal, por um acaso sabe onde fica a tal casa-da-mãe-joana? Então vá até lá conferir.
A medida do possível vou colocando as histórias, com a lentidão de sempre.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... agradece mais uma vez a sua visita esperando que volte sempre.
BOM DOMINGO.
Saudações Florestais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

A Moni. disse...

Que bom, Fred!


Italo, Cazuza vem bem a calhar... Sempre!


Silvana... Benditos problemas de conexão, né? rsrs
Mas já fui lá conferir a história da "Casa da Mãe Joana".

Beijos pra vcs...